Lia Drumond

É só um blog…

Medo de escuro – Parte 2

with 7 comments

Medo de escuro – Parte 2

Escorregava da cadeira. Um vento cada vez mais frio fazia seu corpo ficar arrepiado. O coração já não estava tão acelerado, mas o medo persistia. Tentava forçar os ouvidos para reconhecer o lugar onde estava. Sabia que tinha terra, mas não ouvia pássaros ou insetos. O cheiro era de chuva, terra molhada. Sem barulho de motores, sem buzinas. Sem vozes, passos, ruídos. Apenas o vento soprava e fazia um barulho abafado dentro de seu capuz.. Conforme anoitecia, o tempo esfriava. E nada mais acontecia…

O telefone de um de seus sequestradores toca. Seu coração dá um pulo e volta a bater como se ele tivesse corrido por kilômetros. Tenta ouvir o que falam, mas está tão ansioso que seu batimento cardíaco soa como a bateria da Beija-Flor dentro da sua cabeça. Fica mais desesperado ainda. Quando aquilo acabaria? Que estava acontecendo? Chegou a desejar que, se fosse pra morrer, que acabassem logo aquela agonia.

– Está quase.. Ainda não. Mas vai dar certo. Pode confiar, já fizemos muitas vezes antes… – Pausa – Se não der certo, garantimos devolver o pagamento, e isso nunca precisou acontecer.

Aqueles homens estavam ganhando dinheiro para mantê-lo ali. Já sabia que era um caso de violência. Seria morto. Por que ainda estava vivo? Como seria sua morte? Tiro? Espancamento? Facas? Estrangulamento? Como seria encontrado? Sua mulher?Seus filhos crescidos e indiferentes? Será que chorariam sua falta? Não conheceu os netos que o futuro lhe daria. Morreria sem saber se sua linhagem teria continuidade.

Quando começaria sua morte? Por que não lhe davam um tiro e terminavam o serviço? Ouviu os homens se movimentando e sentiu um forte cheiro de gasolina por perto. Seria queimado! Deus!!! Queimado vivo? Isso seria extremamente doloroso. Por que tanto requinte de crueldade? Será que o matariam primeiro e queimariam depois? Cheiro forte de gasolina… Esperava que jogassem gasolina em seu corpo. Seu coração estava tão acelerado que seu peito começou a doer. Sentiu algo molhado e quente no meio de suas pernas. Não era gasolina, era seu pânico em forma de mais um vexame. Se bem que… Estava prestes à morrer… De que valeria sua dignidade? De que valeria qualquer coisa nesse momento?

Seu peito dóia. Seu braço adormecia. Seu coração parecia que estava explodindo. Sentiu a boca seca… Cada vez mais seca. Seu ombro doía muito, seus ouvidos não ouviam mais nada além do seu coração. E ele batia cada vez mais forte nos seus tímpanos. Sentiu uma tontura e caiu. Nunca mais se levantou…

– Quanto tempo já passou?
– Acho que uns vinte minutos…
– Vamos trocar as calças dele de novo?
– Não, não temos mais uma igual à que ele estava, pode levantar suspeitas…
– É, vão pensar que ele se mijou durante o enfarte. Vambora. Tira o capuz e leva a cadeira.

Written by Lia Drumond

outubro 30, 2006 às 14:00

Publicado em Contos

7 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Quer a tirinha perdida dos malvados? tem um e-mail para eu mandar ela?

    Jussara

    novembro 7, 2006 at 2:10

  2. Vou ter que fazer a leitura ao contrário. Gostei muito da parte dois. Só que minha ciática me está a matar. Espero estar melhor amanhã.

    Escrevi um post de puro humor besteirol, 20 rqzões p/ usar bóia de pescoço. Quando tiver um tempinho, lê e me escreve, saudades.

    tina oiticica

    novembro 7, 2006 at 21:46

  3. Bem bacanas seus contos, são leves e ágeis. Sempre bom te ler.

    Dias lindos pra ti.

    Ôbèron

    novembro 21, 2006 at 11:26

  4. mas sim, o que foi isso afinal das contas?:

    Selph

    novembro 21, 2006 at 20:57

  5. Ae Lia, os contos estão bem legais e tal, mas, na boa, quando se lê sequencialmente dá pra perceber que as frases iniciais estão todas muito parecidas…

    AndreW

    dezembro 5, 2006 at 0:24

  6. Oras…deveras interessante. Gostei da forma com que você escreve. Ágil e sem enrolações… E afinal, uma forma diferrente de “assassinato”? rs, de qualquer forma, adorei.
    meus parabéns senhorita,
    Nos vemos por ai…

    Khronos

    dezembro 27, 2006 at 22:46

  7. Hum, hum, hum. Mas agora fiquei curioso… Terá uma parte 3, certo?

    Anonymous

    janeiro 16, 2007 at 0:57


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: