Lia Drumond

É só um blog…

O maior medo da minha vida!

with 3 comments

Hoje eu senti o maior medo da minha vida! Faz algumas horas já, mas ainda estou tremendo. O Américo caiu! Eu o deixei apenas meio minuto em cima da cama, bem no meio dela e é uma cama queen size, fui buscar a toalha para banhá-lo e ouvi um “Tuc” seguido de um choro desesperado… Ai, carai, nem sei como estou descrevendo isso… Eu voei até ele e o peguei no colo, liguei para o Fabio, errei o número duas vezes, o nenê chorando no meu colo, desesperado, eu tentando acalmá-lo. Quando consigo falar no consultório, começo a gaguejar e peço para ele nos levar para um hospital. Isso tudo sem chorar e sem tentar parecer tão desesperada…
Quando ele chegou, o Américo já estava bem. Vai apenas ficar com um galo roxo na testa. Vou tirar foto para ele ver seu primeiro dodói, um dia. Nossa, eu senti mesmo o maior medo da minha vida. Eu não consigo nem escrever qual é esse medo, mas acho que quem tem filho, ou quer muito e se coloca no lugar de quem tem, sabe que medo é. Agora temos de observar para ver se ele fica diferente, se vomita ou dorme demais. Achamos melhor não levar ao hospital, mas dá medo! A queda não foi grande mas, e se estivermos errados? Acho que nem vou dormir essa noite. Talvez só quem já deixou o próprio filho cair, por não prestar atenção ou subestimar a capacidade de locomoção do pequeno, sabe a culpa e o sentimento de merda que nos invade e tira todo o  sossego… Que merda! Estou quase fazendo uma cena mexicana: “Ah, eu sou uma mãe horrível! Como eu pude ser tão burra! A culpa foi minha! Eu deveria ter…Buááá!”.
Agora eu posso chorar… Essa foi minha reação, aliás. Quando eu vi que realmente estava tudo bem, chorei que nem idiota. Mas já parei de chorar. Agora é cuidar e observar…

Written by Lia Drumond

agosto 20, 2007 às 19:47

Publicado em Maternidade

3 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Erro talvez, culpa sua, diria que não. Não se pode prever tudo o que aconteceria,se não, evitar-se-ia qualquer arranhão que ele possa vir a ter, n é mesmo?
    De quaquer forma, se servir de algo, meu pai deixou meu tio cair de uma altura considerável e de cabeça.. E foi esse desespero também, ele ficou com umn galo enorme, ai enfaixaram o coitado com um lençol, enfim, dá pra imaginar a cena rs.
    Mas enfim mocinha.. Não posso dizer que sei a sensação, mas posso imaginar, uma vez que tenho irmã, mãe e tudo mais e ver um parente ou pessoa q se ama muito, machucar-se, nem que seja um corte bobo, dói.
    Não nos conhecemos nem nada, mas isso não me impede de desejar de coração que esteja tudo bem.
    Se cuide senhorita, até mais ver

    Khronos

    agosto 20, 2007 at 22:41

  2. Eu me lembro a primeira vez q o filhote caiu. Foi terrível. Ainda mais eu, q sou paranóico com essas coisas – mesmo hj, ele com 10 anos, eu continuo meio q superprotetor, temendo o mundo. Espero desencanar um dia…

    Beijos e espero q todos estejam bem.

    worklover

    agosto 20, 2007 at 23:59

  3. […] treino de pára-quedista, do carrinho para o chão. Diferente de quando isso aconteceu com o Américo, tudo o que eu fiz foi pegá-lo no colo e dar um pedaço de pão, o choro parou na hora. Claro que […]

    Segundo filho « Lia Drumond

    setembro 12, 2011 at 7:50


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: