Lia Drumond

É só um blog…

Manual do Hedonista – Dominando a esquecida arte do prazer

with 3 comments

O livro de Michael Flocker é auto-ajuda escancarada e, apesar de torcer o nariz para o estilo, gostei muito da leitura. Conselhos nada convencionais num texto que fala sério num profundo e debochado tom de sarcasmo. Conselhos muito úteis, na minha opinião hedonista. Algumas personalidades cheias de características hedonistas, um toque sobre como as virtudes foram deturpadas pela sociedade, dicas de como ser o seu grande amor, hedonistas versus mártires. Uma das frases de canto de página que eu adorei, já que o livro tem várias e todas são legais, foi um provérbio dos mestres do whisky: “Certifique-se de viver a sua vida, porque você fica muito tempo morto”.  Esta última sintetizou vulgarmente toda a obra, mas é esse o espírito. Não supervalorizar nada além da própria felicidade.  

253574.jpg

Written by Lia Drumond

janeiro 8, 2008 às 18:16

Publicado em Livros

3 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Lia, vim aqui pelo blog da Marilia Alvarenga que, por sinal, está sumida.
    Gostei do que vi. O livro que você menciona parece mesmo ser muito bom.
    Você acredita em livros de auto-ajuda? Mais precisamente: você acha que esses livros ajudam mesmo?
    Estou pensando em fazer um post “aboutthis matter”.
    Abraços

    Adelino

    janeiro 9, 2008 at 19:04

  2. Complementandfo, Lia, o primeiro livro de auto-ajuda que li foi “Como fazer amigos e influenciar pessoas” (How to win friends and influence people”), de Dale CArnegie. Dele também li, posteriormente, o “Como evitar preocupações e começar a viver” (How to stop worring and start living).
    Creio que aproveitamos sim alguma coisa, digamos, 10% dos ensinamentos.
    Abraços, e meus parabéns pelo seu blog. Espero vir mais vezes aqui.

    Adelino

    janeiro 9, 2008 at 19:08

  3. Lia Drumond, pelo seu perfil vejo que você é escritora. Cite alguns bons livros seus publicados, pois gostaria de ler algum deles. Eu gosto de ler livros, mas prefiro os de não-ficção, de ficção até posso me interessar, mas tem de ser muito bom mesmo. Se não, claro, faço quase igual a você: paro na página 2 mesmo. E ainda dou uma folheada para confirmar se realmente não vai me agradar.
    Adorei seu blog. Pretendo linká-lo, pode ser?
    Abraços

    Adelino

    janeiro 9, 2008 at 19:16


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: