Lia Drumond

É só um blog…

Burraco

with 5 comments

É o preço da fama ou infâmia
Sentir-se vigiada, observada, avaliada, analisada.
Sentir-se reprimida, espremida, exigida, engolida.
Não se saber livre ou conduzida
É o preço do abaixar ou permitir
Sentir-se manipulada, subestimada, procrastinada
Sentir-se à merce, com ou sem você, com muito a perder
Não saber quando é tempo de limite
É o preço de querer ser mais burra
Sentir-se perdida, ardida, metida, fudida
Sentir-se presa, coesa, beleza, riqueza
Não perceber que as rédeas são só minhas…

P.S. Este é o post de número 300 segundo o WordPress… Legal, né? Poderia tirar umas férias de um mês sem escrever nada aqui…

Written by Lia Drumond

maio 27, 2009 às 15:00

Publicado em Versos

Tagged with

5 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Parabéns Lia…
    E obrigado pela sua escrita…

    Tirar férias nada Lia…

    SEMPRE EM FRENTE!

    Genilson

    maio 27, 2009 at 20:53

  2. Tira férias não, seus textos são necessários!

    Rafael Vidal

    maio 27, 2009 at 23:49

  3. Ha Lia esse texto acabou de me traduzir, ultimamente estou me sentindo assim…

    Bjks.

    Annie

    maio 28, 2009 at 18:58

  4. É o preço que se paga por não poder viver mais pra si próprio apenas… por saber que há muito mais do que a “velha rebeldia” em jogo…
    Férias nada! É bom te ler também baby! (Lia mode on… rs)
    Bjs!
    PS: 300 também!? O meu idem, mas é desde os tempos do famigerado Blogspot…

    Danilo

    maio 29, 2009 at 4:11

  5. Não, não.
    Não tá bom, não.
    Sua cultura manda muito mas ela atrapalhou nessa hora.
    Tá visceral prá cacete, furioso e gostoso.
    Mas você errou a mão.
    E ficou meio auto-biográfico demais, lembrando muito aqueles versos de adolescente revoltadinha com a mamãe.
    Você já é uma SENHORA revoltadona com a Mamãe! É diferente!
    Finesse.
    Acho que te falta finesse. Uma dose de requinte.
    Observe mais e aponte seus canhões para longe, para as estrelas, para tudo. Menos prá si mesma, que aí fica martirizante demais, gay demais.
    Noblesse oblige, dearest.

    Roberto Pereira

    setembro 23, 2009 at 9:49


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: