Lia Drumond

É só um blog…

Posts Tagged ‘introspecção

Tempo, mano velho

with one comment

É o cansaço, é a rotina, é a desculpa… Ou é, na verdade, o sentimento de impotência. Não tenho nada para acrescentar aqui, acho. Numa nova fase de absorção, introspecção e observação. Talvez uma nova geração, o tempo de olhar para fora só que não mais daqui de dentro, já que agora sou tão vulnerável…

Não cala a vontade de dizer  (repetir?), mas as palavras não vão sair enquanto os significados  forem os mesmos. Ninguém está prestando atenção, quem está parece que não percebe, aqui não cabe mais o mesmo. Talvez seja amadurecer não se envergonhar da limitação que se busca terminar, não tenho mais vergonha da minha burrice. Burrice de hoje e ontem, estamos aí.

Tempo de plantar e colher de verdade, tempo de ser gente criando gente, tempo de não ter tempo pra parar.  Não desisti de escrever, só não gosto mais de estar ao alcance. Meu passado está por aí, mas meu presente só eu posso abrir… E o futuro que se foda.

564989_531985916820191_250078732_n

E, né? Andei, Lurdez da Luz

Written by Lia Drumond

agosto 8, 2013 at 13:52

Publicado em É com a Lia

Tagged with , ,

Humildade?

with 3 comments

É meu dilema a percepção de que fui enganada, mas não quero mais. A impressão é essa. Não só pela família, mas tudo o que vi, li, assisti, ouvi e aprendi dizia e repetia que nascemos por algum motivo, que para crescer e me considerar  madura era preciso evoluir e ser melhor, maior, mais inteligente e bondosa. Ser bom sempre foi a grande lição de toda a moral de quase toda história. Claro, ser bom sempre é confundido com ser obediente e ingênuo, mas nunca vi bondade ser sinônimo de indiferença para com o sofrimento alheio. Aí que já posso me julgar adulta agora que não sou adolescente e tenho crianças sob minha responsabilidade. Ou seja, posso dizer que cresci, apesar de acreditar estarmos todos em pleno desenvolvimento até o fim de nossas existências.

Hoje em dia a lição é outra: seja igual. E não é seja igual ao melhor, sabe? É seja igual a média, seja medíocre – queira sempre mais, compre sem pensar, não aceite sua aparência normal, pense como a maioria. “Não ofenda os outros com lições de moral sobre ser melhor!” Mas existe melhor, sim. Quando existe o que menos prejudica, este é melhor. Hoje em dia o errado está certo. O politicamente incorreto é um nome que ganha admiração pela ignorância da maioria em relação ao que é política. Preconceito não tem graça e só quem se acha acima do bem e do mal pode julgar menor o sofrimento alheio. Liberdade de expressão não significa liberdade de ofensa e agressão. Ecologistas ganham cada vez mais apelidos pejorativos por defenderem o lar que deveria ser de todos, pacifistas são agredidos para que tenham medo de defender em público sua não reação à violência, cientistas são cada vez mais raros por se dedicarem ao conhecimento, mulheres são mortas impunemente para que não possam influenciar. Depois que cresci, querem me ensinar que preciso ser estúpida para ser aceita. Ainda bem, apesar de tudo, ainda não me acho tão estúpida.

Gentileza, bondade, cordialidade, humildade para aprender- sempre há mais, há muito mais do que poderíamos saber ainda que dedicássemos a vida toda. E, ainda assim, não é preciso tanto. É preciso apenas que cada um seja mais capaz de trocar de lugar com o outro e perceber que é frágil a diferença que nos separa.

A chuva não molha apenas um tipo de gente, o Sol clareia o dia de todo mundo que está vivo… Quando há dor, não importa em quem seja ou qual meio haja (ou não) para resolver, dói igual.

Written by Lia Drumond

dezembro 18, 2011 at 7:38

Publicado em Brisas

Tagged with , , , , ,

Caso da Astronomia

with one comment

É que estou de caso com a Astronomia… Tão fascinante para mim, tão ignorante. Presto atenção e acho tudo lindamente absurdo, talvez por estar cansada de ver os absurdos sobre os quais tanto pensava. Aquelas fisionomias… Talvez me cansou tanta filosofia, toda teoria e a maldita alienação “pop” voluntária. Talvez a culpa que sentia por detestar o real culpado por tanta barbaridade, humanidade. Tanta História e nenhum conhecimento, ainda há massacres e fome – e nem se pode justificá-los mais, não mais… Estar de caso com a Astronomia é voltar a sonhar com um mundo melhor, ainda que não mais seja este.

Música pra segunda 😦 depois de dias lindos e maravilhosos :): Planet caravan – Black Sabbath, com o Pantera

Written by Lia Drumond

agosto 16, 2010 at 9:27

Publicado em É com a Lia

Tagged with ,

Segue em frente

with 3 comments

Passar o tempo passando por cima de tudo, é mais fácil estar em cima. Seguir seu caminho sem olhar para trás, nem olhar pra frente, talvez olhar pros lados quando se distrair da visão de seus passos. Um pé de cada vez, um movimento de cada vez, nada mais importa além de seguir em frente. Não há nenhum outro caminho, nada mais volta, a estrada é só sempre de ida enquanto o tempo sempre obriga a seguir em frente, não importa a direção. Não andar por baixo, quase voar em seus passos que seguem o caminho que segue em frente, aceitar já saber que não há qualquer outra direção. Não é a leveza da jornada, talvez a esperança de que obstáculos surgem para serem superados ou o medo de o caminho ser mudado quando isso acontece. Trabalhar o que há, plantar o que se espera colher. Rosas também têm espinhos… Mas é importante agradecer-lhes pela beleza e pelo perfume que emprestam à vida.

Written by Lia Drumond

agosto 4, 2010 at 14:46

Publicado em É com a Lia, Versos

Tagged with , ,

%d blogueiros gostam disto: